by
Nicole Torres
19
06
de
March
September
de
2019
2019

O Inbound Marketing é indispensável na era digital!

Em tempos de informação maciça e canais difusos de comunicação, os antigos paradigmas de marketing que consistiam em ofertar um produto diretamente para determinado público-alvo, já não são suficientes para impulsionar as vendas.Partindo do pressuposto de que os consumidores contemporâneos são extremamente bem informados e buscam por conta própria informações e bens que lhe interessam, a ideia de Inbound Marketing surgiu para posicionar as marcas de maneira natural e não intrusiva durante o processo de compra. A seguir, vou falar mais sobre esse conceito, descrevendo as suas principais etapas e demonstrando como elas podem ser decisivas no processo de conquista e fidelização de novos compradores!Entenda o conceito de funil de vendasEm poucas palavras, a ideia do Inbound Marketing é gerar conteúdo personalizado para que os próprios consumidores, voluntariamente, procurem pelo discurso de determinada marca e, naturalmente, tornem-se consumidores dela.

Para que isso seja possível, porém, é preciso compreender em qual fase de interesse os compradores em potencial estão em relação ao produto ou serviço ofertado. Sendo assim, ao determinar qual tipo de conteúdo será compartilhado para o público, as estratégias de Inbound consideram três etapas de interesse, em uma jornada conhecida como “Funil de Compras”.No Topo do Funil está o público em geral, que normalmente está pouco familiarizado com o segmento e não conhece exatamente quais as soluções ideais para sanar as suas dores e busca por maiores informações sobre aquilo que precisa.Essa é a fase em que o conteúdo deve ser mais generalista, considerando que a maior necessidade é informar o público e guiá-lo até um interesse comum ao de sua empresa. Esse não é o momento para apresentar aquilo o que de fato você vende, pois uma oferta afastaria o interesse despertado.

Depois de informar os seus potenciais compradores, é hora de considerar um certo grau de instrução dos leitores e gerar um tipo de conteúdo mais aprofundado, que trate sobre questões específicas sobre o tema que você está abordando, na fase conhecida como Meio do Funil. Se você vende um software de gestão empresarial, por exemplo, o Topo do Funil deve falar sobre como esse tipo de sistema é importante para as empresas contemporâneas, enquanto o Meio do Funil deve trazer questões mais específicas, como as maneiras mais eficientes de otimizar a gestão através de um bom software. O Fundo do Funil, por fim, é o espaço para abranger o seu produto ou serviço especificamente, demonstrando como ele é capaz de resolver as dores dos seus consumidores em potencial. No exemplo do sistema, essa fase traria dicas sobre como utilizá-lo, cases de sucesso, sugestões para otimizar os resultados através dele, entre outras questões relacionadas.Transforme visitantes em potenciais consumidoresPara que o conteúdo gerado nas fases anteriores seja realmente eficiente, é preciso gerir corretamente os internautas que têm acesso ao seu conteúdo. No Topo do Funil do conteúdo de um blog, por exemplo, é indicado solicitar que os leitores assinem uma newsletter para que se mantenham mais informados ou ainda ofertar um material rico, como um ebook, para que saibam ainda mais sobre o assunto.Em casos como esses, o pressuposto para disponibilizar o conteúdo é um cadastro, que automaticamente possibilita que o indivíduo faça parte do seu banco de dados e, assim, sua gestão possa acompanhar toda a sua jornada de descoberta! O importante é fazer com que os seus diversos canais conversem entre si. As redes sociais, por exemplo, podem criar excelentes divulgações para o seu blog. O blog, por sua vez, pode guiar os acessos até vídeos interativos, ou landing pages, e assim por diante.Tenha em mente que o seu conteúdo precisa se retroalimentar, até que o potencial consumidor em questão, aqui tratado como lead, chegue ao fundo do funil, onde a sua proposta se tornará, de fato, uma oferta de compra, um agendamento com um vendedor, uma visita com um representante ou algo relacionado. Qualifique o seu público e gere conteúdo personalizadoDespertar o interesse das pessoas, guiá-las até níveis mais profundos da discussão e, por fim, apresentar uma solução comercial para os seus problemas: essa é a proposta de uma boa estratégia de Inbound Marketing!Aqui, abordei o tema de maneira bastante teórica, sem mencionar os pormenores das estratégias que realmente induzem os internautas a um comportamento de compra.Nesse meio, além das mídias já mencionadas, uma infinidade de ferramentas pode ser incluída, como disparadores de e-mail marketing, chatbots, CTAs personalizados, entre outras.Felizmente, as agências especializadas no tema só crescem, o que, consequentemente, também aumenta a concorrência pela atenção dos consumidores nesse tipo de estratégia.Mais do que dominar os sistemas mais prestigiados no meio, como HubSpot, RD Station, entre outros, é importante compreender a mente do consumidor e os caminhos necessários para persuadi-lo, pois só assim é possível guiar ações efetivas de uma equipe de Inbound! E você, já está familiarizado com esse tema? Ficou com alguma dúvida ou tem algo a acrescentar em nossa discussão? Então deixe o seu comentário e continue acompanhando os meus artigos aqui no Linkedin.

O
VOLTAR
CONVERSE ONLINE COM UM CONSULTOrCadastre-se