by
Nicole Torres
02
06
de
August
September
de
2019
2019

As estratégias de tração usadas por startups de sucesso

Se você é empreendedor e lida diretamente com os desafios de um startup, é importante sempre levantar uma questão: quanto tempo você foca para adquirir novos clientes em comparação ao tempo que você investe no desenvolvimento de novos produtos ou serviços?Construir um negócio não é uma tarefa fácil, ainda mais em um tempo tomado pela pluralidade da era digital. São muitos os caminhos para alcançar resultados, mas também são grandes os desafios para empreender em um cenário cada vez mais competitivo.Para isso, existe uma progressão lógica a ser seguida e diferentes canais para otimizar essa busca por pessoas interessadas nos seus produtos ou serviços. Você está por dentro das estratégias de tração mais eficazes para um startup? Entenda melhor a seguir.

Entenda o conceito de Traction Thinking

Uma boa estratégia de tração depende daquilo que conhecemos como Traction Thinking. Na base das prioridades de um negócio, é estabelecido que você 50% do tempo deve ser investido na concepção e desenvolvimento do produto, enquanto os outros 50% precisam ser focados no desenvolvimento da tração.Caso exista um desequilíbrio nessa conta, você arrisca não investir tempo o suficiente para adquirir novos clientes. Ou seja, pode ser que você esteja gastando muito do seu tempo desenvolvendo um produto que não será adquirido.É preciso atrair clientes, gerar feedbacks e se certificar do valor que o serviço ou produto tem para o público. Lembre-se: não é possível perseguir "tudo e qualquer coisa". A estratégia deve ser bem pensada.Em poucas palavras, isso significa que você precisa planejar bem os canais onde estabelecerá a estratégia de atração de novos clientes. Essa, porém, não é uma matemática exata – o processo pode variar de empresa a empresa.De qualquer forma, o principal foco é estar ciente deste importante mindset. Pense na tração o tanto quanto você pensa no desenvolvimento do seu produto ou serviço.

Conheça o case Dropbox

Uma boa inspiração sobre esse assunto pode ser obtida no caso da Dropbox! Tudo começou em 2008, quando a empresa passava por reais dificuldades para conseguir usuários. Os meios de campanha utilizados na época eram tradicionais, como anúncios pagos, por exemplo.A cada $300 gastos em anúncio, estimava-se um retorno de $99. Era clara a necessidade de uma nova estratégia. Por isso, seu fundador, Drew Houston, criou um vídeo de 4 minutos para apresentar melhor a plataforma.O intuito? Impactar a comunidade Digg, um site de indicação de conteúdo, onde estava concentrada boa parte do seu público-alvo Para criar um bom engajamento, Drew apostou em rechear o vídeo com piadas internas daquela comunidade.Essa simples estratégia rendeu bons resultados. O vídeo se tornou um destaque no Digg e trouxe muito tráfego para o Dropbox. A startup passou de 5 mil para 75 mil usuários em lista de espera. Isso tudo em apenas uma noite!Para complementar, o Dropbox também é famoso por ser uma das empresas mais ligadas à eficiência e ao poder das redes sociais – e isso também foi conquistado através de um simples artifício.Os usuários do Dropbox são cobrados por espaço em disco, algo importante para a comunidade. O que eles fizeram, então, foi oferecer 128Mb de armazenamento para quem compartilhasse o serviço no Facebook e no Twitter.Nos primeiros dias, essa ideia fez com que 2,8 milhões de convites fossem disparados. Sem o Traction Thinking, o Dropbox não conquistaria a abordagem certeira para gerar tração!

Inspire-se com quatro estratégias de tração não convencionais!

Quando o assunto é tração, muitas startups acabam sofrendo com dois problemas fundamentais. O primeiro é somente considerar o uso de canais de tração que a empresa já está familiarizada ou mesmo que são associados facilmente ao seu produto ou campanha.O que acontece é uma aglomeração de startups nos mesmos canais, ignorando outros modos promissores de garantir tração. Tenha sempre em mente que ficar preso à uma única fórmula pode não ser o melhor caminho para você!O segundo problema é tentar prever qual canal funcionará melhor sem considerar a curva de aprendizagem. Dificilmente esse tiro vai ser certeiro. Realizar testes faz parte do desenvolvimento de uma estratégia para encontrar o melhor canal de tração.

Quer descobrir algumas opções não convencionais de estratégias de tração? Veja alguns exemplos:

Viral Marketing: é uma forma de usar o trajeto natural da informação nas redes sociais ao seu favor, investindo nesses canais para promover e viralizar o seu produto ou serviço;

Speaking Engagements: promover palestras em eventos pode melhorar bastante a sua capacidade de atrair clientes, parceiros e construir mais credibilidade, além de dividir sua mensagem para um número maior de pessoas.

Gympass para academias: trata-se de um benefício corporativo que oferece às academias parceiras diversas vantagens, como ganho de alunos corporativos, aumento de faturamento, visibilidade, credibilidade, além de benefícios exclusivos do clube Gympass Plus;

Rappi para supermercados: muitas redes já fazem parceria com o Rappi, aplicativo de entregas a domicílio. É uma forma mais barata de fornecer um serviço e ampliar a rede de clientes, chegando até às suas casas sem grandes investimentos em logística;

Com essas estratégias de tração, é possível perceber uma nova gama de possibilidades. Quando falamos de startups, cada investimento conta muito, por isso, priorize o Traction Thinking e invista em uma boa estratégia para crescer de forma inteligente.Gostou de saber mais sobre como estruturar as suas estratégias de tração e de conhecer alguns desses modelos? Quer investir em Traction Thinking mas não sabe por onde começar? Entre em contato com a Crowd!

O
VOLTAR
CONVERSE ONLINE COM UM CONSULTOrCadastre-se